Etiópicos

São Paulo - SP

Integrantes:

Kiuadadaua (Adriano Evaristo Bento) – Vocal /Guitarra

Nascido em Londrina (PR), Adriano aos 14 anos teve a primeira experiência musical na igreja participando dos corais de cânticos, a partir de 2003 segue carreira como guitarrista e back vocal em breve período com a banda Jah Roots, já em 2004 ingressou como vocalista e guitarrista na Banda On Zion Ras, permanecendo até a passagem na banda Nazireu Rupestre, expandindo habilidades com a guitarra e iniciando os estudos e adquirindo conhecimentos da Cultura “RASTAFARI NYAHBINGHI”. Em 2010 investe na carreira sólo com o trabalho Etiopians Highlandas.

O álbum sólo surge em meados de 2015, foi gravado e mixado no estúdio Kafofu Records, e já como vocalista dos Etiópicos, em 2016, completa as gravações e lança o vídeo clipe “PELA MANHÔ.

Fyamoon (Leandro Farias de Assis) – Bateria e Back vocal

Filho de nordestinos, Leandro teve contato com a música dentro da própria casa através de seu pai, então percussionista. O atual baterista é nascido e criado no extremo da periferia na zona leste, foi influenciado pela cultura da musica de rua denominado Movimento Hip Hop dos anos 1990.

Naturalmente a musica floresce no espírito de Fyamoon e com a amizade é convidado para ser percussionista e back vocal da banda Arruera em 2001, em meados de 2007 na banda Nazireu Rupestre contribui como percussionista Nyahbinghi, ritmo do coração apresentado por tambores na cultura Rastafari, após assumir a bateria do grupo em 2008 participa de vários trabalhos, gravando CDs e clipes até o ano de 2015.

Em 2016 se dedica exclusivamente ao projeto musical no single UM COMEÇO DINOVO.

Jah Fábio (Fábio Henrique de Araújo Simões) – Guitarra

Nascido na região de Ribeirão Pires, com a música presente no convívio familiar através do seu avo Benjamim Simões (banda Cana Verde), seus tios e o próprio pai e a vivência cotidiana trazendo a proximidade com os instrumentos, lhe permitiu estudar e agregar conhecimentos.

Fábio foi um dos fundadores da banda “Irrevogáveis” e do ano de 2004 até 2008, como guitarrista, fez parte do cenário musical e cultural da cidade de Ribeirão Pires. Em 2010 iniciou o projeto Programa Raiz Forte sendo locutor de web rádios e rádios FM locais, explanando acerca dos conhecimentos na cultura Rastafari e a Ordem Nyahbinghi, e também sobre a música Reggae. Paralelamente em 2011, o então Jah Fábio fez parte da banda Leões de Sião como percussionista, e gravou o disco em 2012, sendo parte do serviço da Ordem Nyahbinghi Rastafari. Em 2015 se retira da banca após ter exercido o posto de guitarrista por um ano.

Em julho de 2016 ingressa na fundação da RUF (Rastafari United Front) no Brasil aprimorando as experiências e conceitos no Rastafari, no mesmo período debruça-se no projeto sólo de Kiu e segue até hoje como o guitarrista agora da banda Etiópicos.

Ras Morador (Paulo Henrique Preslhakoski) – Contra baixo

Paulo é nascido e criado em São Paulo, desde a infância teve contato com a música através da vitrola e os discos do pai, se identificando já neste momento. Aos 15 anos conheceu o Reggae e o Hip-Hop e com o tempo foi se integrando aos movimentos.

Foi um dos fundadores da banda Nazireu Rupestre em 2003 onde era percussionista, fazendo parte também da Ordem Nyahbinghi com louvores a Jah Rastafari e em 2006 assumiu o contra baixo, participando de diversos shows, gravações de clipes e CDs até 2015, quando sua carreira de produtor musical e proprietário do Pico das Torres (Casa de Espetáculo Musical muito respeitada no cenário Reggae até os dias de hoje).

Hoje o Ras Morador, é o baixista da banda Etiópicos.

Ras Bira Congo (Ubirajara José Machado Pinheiro) – Percussão

Ubirajara é natural do Rio de Janeiro conviveu com a música na família desde a infância e aos 9 anos, seus pais e tios eram integrantes do grupo musical cover, homenageando vários artistas da época mas em especial as mais pedidas eram as músicas de Nelson Gonsalves e Orlando Silva. Em sua adolescência no ano de 1976 no bairro paulistano da Penha, foi apresentado ao disco Kaya do Bob Marley, que na época compunha a lista de venda proibida no país, por ser considerado pela ditadura como terrorista, revolucionário e subversivo.

Ras Bira Congo foi fundador e percussionista da banda Vibrações de Jah de 1995 até 2003, também foi integrante da banda Planeta Reggae e membro da Associação Cultural Reggae de SP juntamente com o ancião Alfredo Rasta, ministrou também aulas de percussão e participa dos serviços da Ordem Nyahbinghi Rastafari em diversas regiões do Brasil, e é integrante e percussionista na banda Etiópicos.

Thiago Nyah (Thiago Farias) – Percussão

Nasceu em Mogi das Cruzes no estado de São Paulo, e desde a infância ouviu música popular brasileira com os pais, mas foi através dos irmãos mais velhos que Thiago conheceu o Reggae, nesta época eles tinham inúmeros pôsteres e fitas de vários artistas do cenário, como a banda Israel Vibration, o próprio Bob Marley, dentre outros ícones. Em 2011 iniciou aulas de percussão com o Ras Bira Congo e dai foi se fundamentando na cultura até fundar e ser o percussionista da banda Ordem Ancestral em 2013.

Hoje, permanece participando dos serviços da Ordem Nyahbinghi Rastafari que concilia como integrante e percussionista na banda Etiópicos.

Influências Musicais:

A referência musical vem do Reggae Roots com o fundamento “RASTAFARI NYAHBINGHI”, influenciados por diversos mestres da linguagem, como por exemplo: Bob Marley The Wailers, Burning Spear, Ras Michael, Morgan Heritage, Twinkle Brothers.

Release / Histórico:

Os Etiópicos iniciaram em meados de 2015 na Zona Leste de São Paulo, com base no trabalho do músico e compositor Kiuadadaua, que desde 2009 articulava a carreira sólo.

Em 2016, Kiu finalizou o seu “EP” e nasce assim o single “UM COMEÇO DINOVO” que tem como base a história dessa unificação, do músico Kiuadadaua & Banda, gerando a banda “Etiópicos”, e o vídeo clipe intitulado “PELA MANHÔ é o início disso tudo.

A referência musical vem do Reggae Roots com o fundamento “RASTAFARI NYAHBINGHI”, influenciados por diversos mestres da linguagem, como por exemplo: Bob Marley The Wailers, Burning Spear, Ras Michael, Morgan Heritage, Twinkle Brothers.

A palavra ETIÓPICO, vem da tradição e junção de antigos idiomas e dialetos (também chamado de Ge'ez até os dias de hoje), que posteriormente se tornou a língua oficial da corte Imperial da Etiópia, simbolizando assim para os músicos, a própria cultura Rastafari, a nova era, e simbolizam os novos homens antigos.

É como nós dizemos no single UM COMEÇO DINOVO: “não tenha medo do novo”.

Escute as Músicas: