FRENTE POPULAR PELA CULTURA – MOGI DAS CRUZES

Tema:

FRENTE POPULAR PELA CULTURA – MOGI DAS CRUZES

Grupo formado por trabalhadoras, trabalhadores e trabalhadories da cultura de Mogi das Cruzes. Com objetivo de colaborar na construção, fiscalização e implementação de políticas culturais de continuidade nesta Cidade.

Frente Popular Pela Cultura Mogi das Cruzes

A Frente Popular pela Cultura de Mogi das Cruzes é um movimento popular de debate público sobre as questões relativas às políticas culturais no município. Objetivamos colaborar junto ao executivo e legislativo com as construções de políticas públicas para cultura na cidade de Mogi das Cruzes nos próximos quatro anos. Somos um movimento com caráter suprapartidário que acredita na cultura e na diversidade cultural como direito fundamental para fortalecimento das democracias. O movimento nasce como proposição de união entre os entes do Estado e da Sociedade Civil, e visa a construção de um debate plural, democrático, com plena isonomia nas questões de interesse comum. A Frente é composta por mais de 801 trabalhadoras, trabalhadores e trabalhadories da arte e da cultura de inúmeros bairros e regiões do município, somos viventes artísticos, coletivos, espaços, territórios, agrupamentos com significativa difusão, fruição e pesquisa em seus respectivos segmentos. Portanto, abarcamos uma gama diversa de manifestações culturais, como as de matrizes negras, tradicionais, originárias, contemporâneas, periféricas, afirmativas, identitárias, entre tantas. Temos larga trajetória de articulação com movimentos populares em âmbito estadual, nacional e internacional, com participação ativa na Frente Popular pela Cultura do Alto Tietê, Fórum do Litoral, Interior e Grande São Paulo, Frente Ampla Estadual de Cultura, Fórum Paulista Aldir Blanc, entre outros.

Sandra Viana

Sandra Viana

Sandra Vianna é cantora, compositora e produtora cultural mogiana. Realiza desde 1999, eventos direcionados ao fomento da música autoral, começando com o projeto “Música Por Um Mundo Melhor” que uniu música de qualidade e cidadania. Depois de uma passagem pela capital, em 2011 Sandra volta à cidade e segue o projeto, agora com o nome ‘MercaSom’. Foi nesse momento, quando o foco era a necessidade da “valorização das artes e das tradições”, que surgiu o nome “Canto de Cabocla”. Em 2018, transforma a idéia em espaço físico que, impedida de continuar suas atividades por conta do isolamento social, fechou as portas em março de 2020. Premiado pela Lei Aldir Blanc de Emergência Cultural, o projeto teve mais 3 edições nesse ano (2021), completando 8 canções inéditas disponibilizadas no canal do YouTube. Após uma pausa na carreira para se dedicar à gestão do Canto de Cabocla Casa Cultural, Sandra retoma o universo das canções impulsionada pelo momento de isolamento social e se prepara para iniciar o processo de gravação do novo disco “Alma de Rio” aprovado pela Lei Aldir Blanc de Emergência Cultural no edital 14.017/2020, onde cantará esses 25 anos de estrada, em canções autorais, parcerias e outras interpretações que fazem parte desse percurso. Enquanto não houver segurança sanitária, o espaço continua trabalhando de portas fechadas com o “TekoáPorã” Sagrado Espaço do Acolher, sob a coordenação da terapeuta Rose Kareemi Ponce (somente com atendimentos agendados), o Ateliê Caipora, com peças em taidai e macramês (veja sua peça no instagram e agende sua retirada) , a cozinha do canto, com as pioneiras em Mogi “Coxinhas de Jaca”, também sob encomendas, e o projeto 'C'ouro de Lua - Estudo e Vivência', com os atabaques e os pontos cantados no terreiro de Umbanda (aulas agendadas para um número restrito de pessoas, para evitar aglomerações).

Gustavo de Castro Lima

Gustavo de Castro Lima

Gustavo Castro Lima é músico e educador, pós graduado em “Capacitação Docente em Música Brasileira”. Estudou musicoterapia, dançaterapia e cursou a Formação de Educadorxs do Teatro Escola Brincante.Foi aluno de Naná Vasconcelos, Marlui Miranda, Ari Colares, Deise Alves, Renata Rosa, Barbatuques, Nei Lopes, e aluno especial de musicologia na ECA/USP. Participou de congressos e eventos da OSESP, ABEM, FLADEM, RioAcappella e do Instituto de Artes da Unesp. Desde 1999 trabalha nas escolas e instituições com musicalização, ensino de percussão e danças brasileiras, artes integradas, prática de bandas e formação de educadorxs. Como músico e pesquisador, viajou pelo Brasil e Cuba, conhecendo suas expressões populares tradicionais. Em 2006 entrou para o Grupo Babado de Chita e em 2008, como produtor e compositor, fundou o grupo Carta na Manga, com o qual se apresentou na Argentina, Peru, Colômbia e México. Como percussionista convidado da Orquestra Sinfônica Jovem, se apresentou ao lado de Guilherme Arantes, Moraes Moreira, Flávio Venturini, Lô Borges e Milton Nascimento. Estuda as diásporas centro-africanas e a formação das musicalidades Afro-Atlânticas, e acredita na transformação da educação através das práticas antirracistas.

Rodrigo Romão

Rodrigo Romão

Rodrigo Romão Batista é encenador, dramaturgo, ator, performer, gestor de cultura. Fundador da Clara Trupi de Ovos y Assovios, grupo este com extensa trajetória em território nacional. E também internacional, em paises como Equador, Peru, Argentina, Turquia, entre outros. Como gestor idealizou inúmeras programações, festivais, seminários, contribuindo assim na fruição das Artes e Cultura em Mogi das Cruzes e região.

Enzo Ferrara

Enzo Ferrara

Enzo Ferrara é artista visual Naif, produtor cultural, curador e arte educador. Tem 26 anos de carreira e é também um militante LGBT, bem como apoiador de outros movimentos como a cultura cigana.

Mari Mendes

Mari Mendes

Professora de Educação Infantil e Ensino Fundamental na rede municipal de Mogi das Cruzes. Pós Graduada em Psicopedagogia e Educação Especial. Militante de Movimentos sociais como o Fórum de Mulheres Filhas da Luta e representante da Frente Popular pela Cultura de Mogi, atuando nesses espaços, contribuindo com discussões e ações de combate ao racismo.